Illustration Doença Renal Terminal: Escolhendo a Melhor Terapia Para Você
Gambá Home Page Unifesp Home Page NIDDK Home Page



Este texto eletrônico é destinado à pessoas cujos rins deixaram de funcionar. Essa condição é chamada insuficiência renal crônica terminal (IRCT).

Hoje, há tratamentos novos e melhores para a IRCT os quais substituem o trabalho dos rins. Conhecendo as opções de tratamento, você pode junto com seu médico escolher o que é melhor para você. Não importa que tipo de tratamento você escolher, haverá algumas mudanças em sua vida. Mas com a ajuda dos profissionais que cuidam de você, da sua família, e amigos, você poderá levar uma vida plena e ativa.

Este texto eletrônico descreve as opções de tratamento: hemodiálise, diálise peritoneal, e transplante renal. Descreve os prós e contras de cada um. Também discute a dieta e o pagamento pelo tratamento. Dá também indicações para um trabalho colaborativo com seu médico, enfermeiros, e outros profissionais que integram a equipe de cuidados. Lista também algumas organizações, que oferecem informação e serviços aos pacientes renais.

 Você e seu médico trabalharão juntos para escolher o melhor tratamento para você. Este texto eletrônico pode lhe ajudar a fazer essa escolha.


Quando Seus Rins Deixam de Funcionar

Os rins quando sadios, limpam o sangue filtrando o excesso de água e resíduos. Eles também produzem hormônios que mantêm seus ossos fortes e o sangue saudável. Quando ambos rins falham, seu organismo passa a reter líquidos. Sua pressão arterial aumenta. Resíduos prejudiciais se acumulam em seu organismo. Seu corpo não faz mais glóbulos vermelhos em quantidade suficiente. Quando isso ocorre, você precisa de tratamento para substituir o trabalho de seus rins.


Hemodiálise

Photograph of woman during hemodialysis treatment. Objetivo

A hemodiálise é um procedimento que limpa e filtra o sangue. Liberta seu corpo dos resíduos prejudiciais, do excesso de sal e de líquidos. Também controla a pressão arterial e ajuda seu corpo a manter o equilíbrio de substâncias químicas como o sódio, o potássio, e cloretos.

Como funciona

 A hemodiálise usa um dialisador, ou filtro especial, para limpar seu sangue. O dialisador é conectado à uma máquina. Durante o tratamento, seu sangue flui por tubos para o dialisador. O dialisador filtra os resíduos e o excesso de líquido. Então o sangue recentemente limpo flui através de outro tubo de volta para seu corpo.

Diagrama de como a máquina de hemodiálise funciona. Iniciando o Tratamento

Antes de seu primeiro tratamento, deve ser feito um acesso vascular para a circulação sangüínea. O acesso provê um modo do sangue ser levado de seu corpo à máquina de diálise e então de volta para seu corpo. O acesso pode ser interno (dentro do corpo - normalmente debaixo da pele) ou externo (fora do corpo).

Quem executa o tratamento

 A hemodiálise pode ser feita em casa ou em um centro. No centro, enfermeiros ou técnicos treinados executam o tratamento. Em casa, você faz a hemodiálise com ajuda de um acompanhante, normalmente um familiar ou amigo. Se você decidir fazer diálise em casa, seu acompanhante deverá receber um treinamento especial.

Quanto tempo leva

A hemodiálise normalmente é feita três vezes por semana. Cada tratamento dura de 2 a 4 horas. Durante o tratamento, você pode ler, escrever, dormir, conversar ou assistir à televisão.

Complicações Possíveis

Efeitos colaterais durante a hemodiálise ocorrem e podem ser causados por rápidas mudanças do volume de líquido e no equilíbrio químico de seu organismo. Cãibras musculares e hipotensão são dois efeitos colaterais comuns. A hipotensão, uma queda abrupta da pressão arterial, pode lhe fazer sentir-se fraco, atordoado, ou sofrer enjôo.

Normalmente leva alguns meses para se adaptar à hemodiálise. Você pode evitar muitos dos efeitos colaterais se você seguir a dieta prescrita e tomar seus medicamentos conforme foi orientado. Você sempre deve informar sobre os efeitos colaterais ao seu médico. Eles podem ser tratados rápida e facilmente.

Sua Dieta

A hemodiálise e uma dieta adequada ajudam a reduzir os resíduos que se acumulam em seu sangue. Um nutricionista pode lhe ajudar a planejar as refeições de acordo com as ordens de seu médico.

Quando escolher os alimentos, você deve se lembrar:
  • Coma quantias equilibradas de alimentos com alto teor em proteína como carne e frango. A proteína animal é melhor utilizada por seu organismo do que a proteína encontrada em vegetais e grãos.

  • Observe a quantidade de potássio que você ingere. Potássio é um mineral encontrado em substitutos de sal, algumas frutas, legumes, leite, chocolate, e nozes. Tanto o excesso como a falta de potássio podem ser prejudiciais ao seu coração.

  • Limite quantidade de líquido que você bebe. Os líquidos se acumulam rapidamente em seu corpo quando seus rins não estão funcionando. Muito líquido faz você inchar. Também pode causar pressão alta e problemas no coração.

  • Evite sal. Alimentos salgados o fazem sentir sede e estimulam seu corpo a reter água.

  • Limite alimentos como leite, queijo, feijão, castanhas, e refrigerantes. Eles contém fósforo. Excesso de fósforo em seu sangue causa a retirada de cálcio de seus ossos. O cálcio ajuda a manter os ossos fortes e saudáveis. Para prevenir problemas nos ossos, seu médico pode lhe receitar medicamentos especiais. Você deve tomar esses medicamentos todos os dias como foi prescrito.

Prós e Contras

Cada pessoa responde de forma diferente à situações semelhantes. O que pode ser um fator negativo para uma pessoa pode ser positivo para outra. Em geral, porém o seguinte são os prós e contras para cada tipo de hemodiálise.

Hemodiálise no Centro

Prós
  • Você tem profissionais treinados a todo momento ao seu lado.
  • Você pode conhecer outros pacientes.

Contras

  • Os tratamentos são agendados pelo centro.
  • Você deve se deslocar até o centro para o tratamento.

Hemodiálise Domiciliar

Prós
  • Você pode fazer na hora que você quiser. (Mas você tem que fazer tão freqüentemente quanto seu médico ordenou.)
  • Você não tem que se deslocar até ao centro.
  • Você ganha uma sensação de independência e controle de seu tratamento.

Contras

  • Pode ser estressante para a sua família participar do tratamento.
  • Você precisa de treinamento.
  • Você precisa de espaço para instalar a máquina e armazenar materiais em casa.

Trabalhando com a Equipe que Cuida de Você
Dúvidas que você pode ter:

  • Hemodiálise é a melhor escolha de tratamento para mim? Por que sim ou por que não?
  • Se eu sou tratado em um centro, eu posso ir para o centro de minha escolha?
  • O que sentimos quando fazemos hemodiálise? Dói?
  • O que é auto-tratamento em diálise?
  • Quanto tempo leva para aprender hemodiálise em casa? Quem treinará meu acompanhante?
  • Que tipo de acesso vascular é melhor para mim?
  • Como um paciente de hemodiálise, eu poderei continuar trabalhando? Eu posso ter tratamentos à noite se eu planejo continuar trabalhando?
  • Quanto posso me exercitar?
  • Quem cuidará de mim no centro? Como eles podem me ajudar?
  • Com quem posso falar sobre sexualidade, problemas familiares, ou problemas financeiros?
  • Como/onde posso falar com outras pessoas que enfrentaram esta decisão?

Diálise Peritoneal

Fotografia de um paciente durante a diálise peritoneal. Objetivo

Diálise Peritoneal é um outro procedimento que substitui o trabalho de seus rins. Remove o excesso de água, resíduos e substâncias químicas de seu corpo. Este tipo de diálise usa o revestimento de seu abdome para filtrar seu sangue. Esse revestimento é chamado de membrana peritoneal.

Como funciona

Uma solução purificadora, chamada dialisato, flui por um tubo especial em seu abdome. Líquido, resíduos e substâncias químicas passam de minúsculos vasos de sangue da membrana peritoneal para o dialisato. Depois de várias horas, o dialisato é escoado de seu abdome e leva os resíduos de seu sangue com ele. A seguir, você enche seu abdome de dialisato fresco e o processo de limpeza começa novamente.

Iniciando o Tratamento

Antes de seu primeiro tratamento, um cirurgião coloca um pequeno tubo flexível, chamado cateter em seu abdome. Esse cateter sempre ficará aí. Ele ajuda no transporte do dialisato para a cavidade peritoneal e vice-versa.

Tipos de Diálise Peritoneal
Há três tipos de diálise peritoneal:

  1. Diálise Peritoneal Ambulatorial Contínua (CAPD)

    A CAPD é o tipo mais comum de diálise de peritoneal. Não precisa de nenhuma máquina. Pode ser feito em qualquer lugar limpo. Com a CAPD, seu sangue está sendo limpo de forma contínua. O dialisato passa de uma bolsa de plástico pelo cateter para seu abdome. O dialisato fica em seu abdome com o cateter lacrado. Depois de várias horas, você escoa a solução de volta à bolsa. Daí você preenche seu abdome com solução fresca pelo mesmo cateter. Agora o processo de limpeza começa novamente.

  2. Diálise Peritoneal Cíclica Contínua (CCPD)

    A CCPD é como a CAPD, exceto por necessitar de uma máquina que se conecta ao cateter e automaticamente infunde e drena o dialisato de seu abdome. A máquina trabalha durante a noite enquanto você dorme.

  3. Diálise Peritoneal Intermitente (DPI)

    A DPI usa o mesmo tipo de máquina da CCPD para infundir e drenar o dialisato. A DPI pode ser feita em casa, mas é normalmente feita no hospital. Tratamentos com DPI levam muito mais tempo que a CCPD.

Quem executa o tratamento

A CAPD é uma forma de auto-tratamento. Não precisa de nenhuma máquina e nenhum auxiliar. Porém, com a DPI e a CCPD, é necessário uma máquina e a ajuda de uma pessoa (familiar, amigo, ou profissional).

Quanto tempo leva

Com a CAPD, o dialisato permanece em seu abdome ao redor de 4 a 6 horas. O processo de drenagem e substituição do dialisato por uma solução fresca leva de 30 a 40 minutos. O mais comum é trocar a solução quatro vezes ao dia.

Com a CCPD, os tratamentos duram de 10 a 12 horas todas as noites.

Com a DPI, os tratamentos são feitos várias vezes por semana, para um total de 36 a 42 horas por semana. As sessões podem durar até 24 horas.

Complicações Possíveis

Peritonite, ou infecção do peritônio, pode ocorrer se o orifício de entrada do cateter em seu corpo estiver infectado. Você também pode adquiri-la se houver problema na conexão ou na desconexão do cateter com as bolsas. A peritonite pode lhe fazer sentir-se doente. Pode causar febre e dor de estômago.

Para evitar a peritonite, você deve ter cuidado e seguir o procedimento corretamente. Você precisa saber os sinais iniciais de uma peritonite. Observe se ao redor do cateter está avermelhado ou edemaciado. Você também deve notar se o dialisato parece turvo. É importante informar estes sinais para seu médico de forma que a peritonite possa ser tratada rapidamente para evitar problemas sérios.

Sua Dieta

A dieta para diálise peritoneal é ligeiramente diferente da dieta para a hemodiálise.

  • Você pode ingerir mais sal e líquidos.
  • Você pode comer mais proteína.
  • Você pode ter diferentes restrições de potássio.
  • Você pode precisar reduzir o número de calorias ingeridas. Essa limitação se deve ao açúcar do dialisato, o qual pode levar ao ganho de peso.

Prós e Contras
Há os prós e contras para cada tipo de diálise peritoneal.

CAPD

Prós
  • Você pode executar o tratamento sozinho.
  • Você pode fazer na hora que você escolher.
  • Você pode fazer em diferentes locais.
  • Você não precisa de uma máquina.

Contras
  • Quebra a sua rotina diária.


CCPD

Prós
  • Você pode fazer à noite, geralmente enquanto dorme.
Contras
  • Você precisa de uma máquina e da ajuda de uma pessoa.


DPI

Prós
  • A equipe de enfermagem geralmente executa o tratamento.

Contras

  • Você precisa ir ao hospital.
  • Leva muito tempo.
  • É necessário uma máquina.

Trabalhando com a Equipe que Cuida de Você
Dúvidas que você pode ter:

  • A diálise peritoneal é a melhor escolha de tratamento para mim? Por que sim ou por que não? Qual o tipo?
  • Quanto tempo levará para aprender a diálise peritoneal?
  • O que se sente na diálise peritoneal? É dolorido?
  • Como diálise peritoneal afetará minha pressão arterial?
  • Como posso saber se estou com peritonite? Como se trata a peritonite?
  • Fazendo diálise peritoneal, poderei continuar trabalhando?
  • Quanto eu posso me exercitar?
  • Quem estará na equipe que cuidará de mim? Como eles podem me ajudar?
  • Com quem posso falar sobre sexualidade, finanças, ou preocupações familiares?
  • Como/onde posso falar com pessoas que enfrentaram esta decisão?

A Diálise Não É Uma Cura

A hemodiálise e a diálise peritoneal são tratamentos que tentam substituir a função de seus rins. Estes tratamentos lhe ajudam a sentir-se bem e a viver mais tempo, mas não são curas para a IRCT. Enquanto os pacientes com IRCT estão vivendo agora muito mais tempo do que antigamente, a IRCT pode causar problemas durante os anos. Alguns problemas são doença óssea, pressão alta, neuropatia e anemia (poucos glóbulos vermelhos). Embora estes problemas não desaparecem com a diálise, os médicos agora tem novas e melhores maneiras para tratá-los ou preveni-los. Você deve discutir esses tratamentos com seu médico.


Transplante Renal

Foto de um médico e sua paciente no hospital. Objetivo

O transplante renal é um procedimento que coloca um rim saudável de outra pessoa em seu corpo. Esse novo rim faz todo o trabalho que seus dois rins doentes não podem fazer.

Como funciona

Um cirurgião coloca o novo rim dentro de seu corpo entre a parte superior da coxa e o abdome. O cirurgião conecta a artéria e veia do novo rim em sua artéria e veia. Seu sangue flui pelo novo rim e produz urina, da mesma maneira como faziam seus próprios rins quando eram saudáveis. O novo rim pode começar a trabalhar imediatamente ou pode levar algumas semanas para funcionar. Seus próprios rins permanecem onde eles estão, a menos que estejam causando infecção ou hipertensão.

Diagrama de como é um transplante renal. Iniciando o Tratamento

Você pode receber um rim de um membro de sua família. Esse tipo de doador é chamado de doador vivo-relacionado. Você pode receber um rim de uma pessoa que morreu recentemente. Este tipo de doador é chamado de doador cadáver. Às vezes um cônjuge ou um amigo muito íntimo pode doar um rim. Este tipo de doador é chamado de doador vivo-não relacionado.

É muito importante que o sangue e tecidos do doador sejam compatíveis com o seu. Esta compatibilidade ajudará a impedir que o sistema imunológico de seu organismo passe a agredir, ou rejeitar, o novo rim. Um laboratório fará testes especiais nas células sangüíneas para descobrir se seu corpo aceitará o novo rim.

Quanto tempo leva

O tempo que leva para se conseguir um rim varia. Não há número suficiente de doadores cadáver para todas as pessoas que precisam de um transplante. Por causa disto, você deve ser colocado em uma lista de espera para receber um rim de doador cadáver. Porém, se um parente lhe doa um rim, o transplante pode ser feito mais cedo.

A cirurgia leva de 3 a 6 horas. A permanência habitual no hospital pode durar de 10 a 14 dias. Depois que você deixa o hospital, você irá para o ambulatório para visitas de acompanhamento regulares.

Se um parente ou amigo íntimo lhe doa um rim, ele ou ela provavelmente ficará no hospital durante uma semana ou menos.

Complicações Possíveis

O transplante não é uma cura. Sempre há uma chance de seu organismo rejeitar seu novo rim, não importa quão boa foi a compatibilidade. A chance de seu corpo aceitar o novo rim depende de sua idade, raça, e condição clínica.

Normalmente, 75 a 80 por cento dos transplantes de doador cadáver estão funcionando um ano depois de cirurgia. Porém, transplantes de parentes vivos funcionam freqüentemente melhor do que transplantes de doador cadáver. Isso ocorre porque eles normalmente tem uma melhor compatibilidade.

Seu médico lhe dará drogas especiais para ajudar a prevenir a rejeição. Esses medicamentos são chamados imunosupressores. Você precisará tomar esse remédio diariamente para o resto de sua vida. Às vezes essas drogas não impedem seu organismo de rejeitar o novo rim. Se isto acontecer, você voltará para alguma forma de diálise, enquanto aguarda um outro transplante.

O tratamento com essas drogas pode causar efeitos colaterais. O mais sério é que eles debilitam seu sistema imunológico e o tornam mais propenso a adquirir infecções. Algumas drogas também causam mudanças em sua aparência. Seu rosto pode se tornar mais cheio. Você pode ganhar peso ou pode desenvolver acne ou pêlos faciais. Nem todos os pacientes têm esses problemas, e maquilagem e dieta podem ajudar.

Algumas dessas drogas pode causar problemas como cataratas, acidez no estômago, e doença de quadril. Em um número menor de pacientes, estas drogas podem causar também danos no fígado ou rim quando usadas por um período longo de tempo.

Sua Dieta

Dieta para pacientes transplantados é menos limitante que para pacientes em diálise. Você ainda pode ter que reduzir em um pouco os alimentos. Sua dieta provavelmente mudará conforme seus medicamentos, exames de sangue, peso, pressão sangüínea mudarem.

  • Você pode precisar estar atento às calorias. Os medicamentos podem lhe dar um apetite maior e ocasionar excesso de peso.
  • Você pode ter que limitar a ingestão de comidas salgadas. Os medicamentos podem causar retenção de sal em seu corpo e ocasionar pressão alta.
  • Pode ser necessário que você coma menos proteína. Alguns medicamentos levam a um maior acúmulo de resíduos em sua circulação sangüínea.

Prós e Contras
Há os prós e contras no transplante renal.

Transplante Renal

Prós
  • Funciona como um rim normal.
  • Ajuda a você sentir-se mais saudável.
  • Você tem poucas restrições na dieta.
  • Não há nenhuma necessidade de diálise.

Contras

  • É necessário uma cirurgia.
  • É necessário esperar por um doador.
  • Um transplante pode não durar a vida inteira. Seu organismo pode rejeitar o novo rim.
  • Você deverá tomar medicamentos para o resto de sua vida.

Trabalhando com a Equipe que Cuida de Você
Dúvidas que você pode ter:

  • É o transplante a melhor escolha de tratamento para mim? Por que sim ou por que não?
  • Quais são minhas chances de ter sucesso com um transplante?
  • Como posso saber se um membro da família ou amigo podem doar?
  • Quais são os riscos para um familiar ou amigo se eles doarem?
  • Se os familiares ou os amigos não puderem doar, como posso entrar em uma lista de espera para um rim? Quanto tempo terei que esperar?
  • Quais são os sintomas de rejeição?
  • Quem estará cuidando de mim? Como eles podem me ajudar?
  • Com quem posso falar sobre sexualidade, finanças, ou preocupações familiares?
  • Como/onde eu posso falar com outras pessoas que enfrentaram essa decisão?


Conclusão

Não é fácil decidir qual tipo de tratamento é melhor para você. Sua decisão depende de sua condição médica, estilo de vida, e interesses pessoais. Discuta os prós e contras de cada um com o pessoal que cuidará de você. Se você começa uma forma de tratamento e decide que gostaria de tentar outro, discuta com seu médico. A chave é aprender tanto quanto você possa sobre suas escolhas. Com esse conhecimento, você e seu médico escolherão um tratamento que lhe sirva melhor.


Pagando pelo Tratamento

O tratamento para a IRCT é caro, mas a ajuda do Governo Federal através do SUS, paga a maior parte do custo. Alguns planos de saúde privados ou programas estaduais e municipais, também pagam. O Governo Federal e as Secretarias Estaduais também podem pagar alguns de seus medicamentos.


Organizações Que Podem Ajudar

Há organizações que oferecem informações e serviços aos pacientes renais crônicos. Você pode fazer contato com:

Disque Diálise
Horário de Atendimento: 2ª a 6ª feira das 7 às 17:00 h
Tel.: (011) 3064-4303
Fax: (011) 282-9290 e 883-1140

Central de Transplantes - Secretaria de Estado da Saúde de S.P.
Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos de São Paulo

Associação dos Renais de Brasília
www.arebra.cjb.net

Associação de Pacientes Transplantados da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
Rua dos Otonis, 860 - Vila Clementino, São Paulo - SP
Fone /Fax: 5539-3868
Presidente: Katsuhiro Miyasaki
Diretora Social: Zita Catharina Navas Kaneko
email: zcatharina@uol.com.br

APREC - Associação Paulista de Renais Crônicos
Praça da República 76 cj. 416 - São Paulo - SP
Tel.: (011) 258-0082

Associação Criança Renal
Sede Administrativa
Avenida Presidente Getúlio Vargas, 2.159 - Água Verde
Curitiba - PR
CEP 80250-180
Tel: (041) 342-6339 / Fax: (041) 342-5588

Você pode também obter informações com os Assistentes Sociais dos Serviços de Nefrologia dos Hospitais Universitários.


Outras Fontes de Informação

Associação Brasileira de Transplante de Órgãos
http://www.abto.com.br/

Associação Portuguesa de Insuficientes Renais
http://www.apir.pt/

Rim Online
http://www.rim-online.com.br/index.html

Saúde Renal
http://www.sauderenal.com.br/

Sociedade Brasileira de Nefrologia
http://www.sbn.org.br/


Créditos

National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse

3 Information Way
Bethesda, MD 20892-3560
E-mail: National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse

A Agência Nacional de Informações de Doenças Renais e Urológicas (NKUDIC) é um serviço do Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais (NIDDK). O NIDDK faz parte do Instituto Nacional de Saúde (NIH) do Serviço Público de Saúde dos Estados Unidos. Fundada em 1978, a agência fornece informações sobre diabetes, a pacientes portadores de doença renal e urológica e a seus familiares, aos profissionais da área de saúde, e ao público. A NKUDIC responde a perguntas; desenvolve, revisa, e distribui publicações; e trabalha junto às organizações de profissionais e pacientes e agências do governo, coordenando as informações sobre doenças renais e urológicas.

As publicações produzidas pela agência são revistas cuidadosamente pela exatidão científica, conteúdo, e entendimento.

Este texto eletrônico não tem direitos autorais. Os leitores podem reproduzir e distribuir tantas cópias quanto desejarem.

Traduzido e adaptado para o Português por Meide S. Anção


Gambá Home Page Unifesp Home Page Return to the NIDDK Home Page



NIH Publication No. 94-2412
June 1994

e-text last updated: 17 October 1997